Técnico realiza a checagem de animais para evitar doenças em suínos
02/03/2020

Doenças Comuns aos Suínos

O mercado de suínos no Brasil vem apresentando um grande crescimento e ganhando destaque no exterior. É uma atividade já bastante consolidada, pois a estimativa do rebanho no Brasil é de 2,4 milhões de matrizes. Isso torna o País o 4º maior produtor e exportador de carne suína.  Entretanto, um fator de atenção se refere as doenças em suínos.

Para que esse número fique ainda melhor, é necessário reduzir as doenças em suínos que atacam os rebanhos brasileiros. É preciso passar maior segurança, não só para outros países, mas principalmente para os consumidores brasileiros.

Existem algumas doenças que são bastante comuns na suinocultura e, para combater o problema, é preciso conhecê-lo de perto. Por isso, listamos abaixo quais são as principais, confira!

Quais são as típicas doenças em suínos?

1.      Peste Suína Clássica (PSC)

Também conhecida como febre suína, a PSC é uma doença em suínos causada por vírus e também é uma das que mais causam prejuízos. Como ainda não foi encontrada uma cura para condição, ou seja, um medicamento que seja capaz de combater o vírus, quando o rebanho entra em contato com o agente, precisa ser sacrificado.

A transmissão se dá pelo simples contato de um porco infectado com outros e pelo contato com utensílios e roupas que estão com o vírus. O tempo de incubação do agente é de 7 a 10 dias e depois, os sinais e sintomas mais comuns começam a aparecer:

  • Hemorragias;
  • Dificuldade para andar;
  • Manchas na pele;
  • Febre.

A boa notícia é que há como prevenir. A primeira forma é vacinando todo o rebanho e a segunda, é evitar superlotação nas baias. Assim, se um animal se contaminar não atinge outros em grande quantidade.

2.      Coccidiose Suína

É uma doença em porcos causada por um protozoário e que já se apresenta nos primeiros dias de vida dos leitões com uma diarreia amarelada e pastosa bastante característica. Além desse sinal, outros sintomas também podem aparecer como a perda de peso e apatia. É uma doença que causa muito prejuízo, pois apenas um animal pode infectar todo o rebanho.

3.      Rinite Atrófica

Também é uma doença que atinge os animais mais novos com 3 a 8 semanas de vida e atinge o sistema respiratório. É uma doença altamente contagiosa e que é transmitida por meio do contato entre o rebanho. É causada por uma bactéria e pode também ser passada de mãe para filhote por meio do aleitamento.

Há sinais e sintomas que são característicos como espirros frequentes, sangramentos e secreções que saem pelo nariz e, em alguns casos mais graves, o focinho pode ficar com os ossos deformados.

4.      Parvovirose Suína

É uma doença bem comum em granjas que, quando atinge os rebanhos de suínos pode causar a morte dos animais até antes do nascimento. Para aqueles que trabalham com a reprodução, causa um grande prejuízo. O vírus causador da doença pode passar vários meses no ambiente e assim, é facilmente espalhado pelos próprios animais.

É uma doença que não tem cura e quando descoberta, é necessário sacrificar todo o rebanho para que o vírus não se espalhe. Se a fêmea estiver em gestação e contrair o vírus, ele viaja pelo cordão umbilical matando todos os fetos. Para evitar situações como essa, o melhor é cuidar bastante da higiene do ambiente e evitar a superlotação. Além do mais, manter a vacinação em dia é mais do que essencial.

Como evitar doenças em porcos?

É importante que o criador siga à risca o calendário de vacinas do rebanho e tenha em mente que a correta higienização do local em que os animais se desenvolvem são cuidados fundamentais. Ter acompanhamento rigoroso de um veterinário ajuda na identificação dessas doenças e de prover formas de tratamento eficazes.

Essas são apenas algumas das doenças em suínos, pois existem muitas outras. Para evitá-las e reduzir os prejuízos da produção, o melhor a fazer é manter a vacinação sempre em dia, a higienização dos ambientes e ao menor sinal de alguma doença, chame o veterinário.

CTA de distribuidores da Chemitec para o blog