Cão e Gato lado a lado

GUIA COMPLETO
SOBRE VERMÍFUGO

NESTE GUIA VOCÊ ENCONTRARÁ:

O que são vermífugos Doenças que o medicamento previne Quando dar aos cães

Quando dar aos gatos Tipos de vermífugos para cães e gatos

A saúde dos animais de estimação demanda atenção. Cuidados simples como a administração de vermífugos, ao menos uma vez ao ano, é fundamental e colaboram para a longevidade na vida dos pets.

Por mais simples que a medida possa parecer, dar vermífugos aos cães e gatos deve ser feita com orientação de um profissional de medicina veterinária e levando em consideração o estilo de vida do animalzinho.

O que poucos devem saber é que cadelas e gatas devem ser vermifugadas quando prenhe, pois, evita-se o contágio das verminoses nos filhotinhos. Essa é apenas uma das peculiaridades sobre a tema. Confira neste guia completo sobre vermífugos as informações indispensáveis à saúde do animal de estimação cedidas pela Chemitec, empresa de medicamentos veterinários e com grande expertise no segmento pet.

O que são Vermífugos?

Vermífugos são medicamentos administrados com a função de prevenir e combater verminoses. Esses vermes costumam se alojar no intestino dos animais de estimação e quando não tratados de forma efetiva, podem resultar em doenças graves aos pets.

Os medicamentos são facilmente encontrados em clínicas veterinárias e petshops e devem ser adquiridos com a indicação do veterinário que acompanha a saúde do pet.

EXISTEM VÁRIOS TIPOS DE PARASITAS INTERNOS, QUEM PODEM PREJUDICAR GRAVEMENTE A SAÚDE DO SEU PET ALGUNS DELES SÃO JUSTAMENTE OS VERMES.

ESTES PARASITAS DIFERENCIAM-SE POR ATACAREM DIFERENTES ÓRGÃOS DO SEU PET SENDO OS PRINCIPAIS:

OLHOS INTESTINO PULMÕES CORAÇÃO

RINS CÉREBRO FÍGADO

Sistema digestivo de pet

Quais doenças os vermífugos previnem?

ANCILOSTOMAS

Anciolostoma é um verme não tão grande como as “lombrigas”, mas tem a capacidade de causar uma irritação severa do intestino.

DIPYLIDIUM CANINUM

Tem como hospedeiros intermediários a pulga e piolhos que são os responsáveis pela alta insfestação dos animais domésticos.

TOXOCARA CANIS

Este é uma espécie de nematódeo do gênero Toxocara comumente encontrado parasitando cães e outros canídeos. Essa patologia afeta órgãos. Os sintomas característicos são o cansaço excessivo, a perda de peso e anemia.

LOMBRIGAS

Estes vermes longos parasitas vivem no intestino do hospedeiro privando-o de nutrientes importantes.

TÊNIAS

Estes parasitas podem ser muito compridos, podendo atingir metros e causar obstrução itestinal.

DIROFILARIOSE ou verme do coração

A Dirofilariose é um parasita transmitido pela picada de mosquito. Estes parasitas podem alojar-se no coração do hospedeiro, circulando as larvas na corrente sanguínea. Podendo ser fatal para o cão e gato.

Saiba a seguir quais as verminoses mais graves e os problemas que elas podem causar aos animais de estimação.

Os vermes denominados de ancilostomas afetam cães e gatos. Nos cachorros a verminose é a Ancylostoma caninum, nos gatos é a Ancylostoma tubaeforme. O contágio ocorre por meio de alimentos ou água contaminada e os vermes afetam diretamente o intestino dos animais, se alimentam da mucosa do órgão e causam sangramentos que são perceptíveis nas fezes dos pets. Quando não tratada, podem evoluir para anemia.

O Dipylidium caninum atinge cães e gatos e tem relação direta com a pulga, quando o animal de estimação apresentar infestação deste tipo de parasita. A característica dessa verminose está em seus sintomas. O animalzinho pode apresentar perda de apetite, quadros de diarreia, dor na região abdominal e apresentar-se apático.

A verminose denominada Toxocara canis também afeta os intestinos. Comum em cães, os ovos do verme se alojam no intestino e se transformam em larvas que podem migrar para os brônquios e a traqueia, para retornar ao intestino. Essa patologia afeta órgãos como olhos, pulmões, fígado, rins e cérebro.

Por isso é de extrema importância que os tutores administrem o vermífugo de forma periódica nos animais de estimação, pois, além de cuidar de seus amiguinhos, evitam ser contaminados. Isso mesmo, os humanos podem ser acometidos pelas verminoses, logo, todo o cuidado é pouco.

Vermífugos: Quando dar ao cães?

Antes mesmo do nascimento dos cães e dos gatos esses cuidados podem ser iniciados. Gatas e cadelas prenhes devem tomar vermífugos para manterem-se saudáveis e evitar que os filhotes sejam contaminados com alguma doença no parto e na amamentação.

Os filhotes, até os três primeiros meses de vida, demandam mais atenção quanto à administração de vermífugos. Confira abaixa a tabela com as doses iniciais de vermífugos a cães filhotes.

VERMÍFUGOS
QUANDO DAR?

30 DIAS DE IDADE1ª Dose de vermífugos
45 DIAS DE IDADE2ª Dose de vermífugos
60 DIAS DE IDADE3ª Dose de vermífugos
Vermífugos para cães

Quando começam a fase adulta, a periodicidade muda. A administração do vermífugo pode ocorrer de forma semestral, a cada seis meses, ou em dose única anual. É importante enfatizar que essa orientação deve vir do veterinário que acompanha a saúde do pet, pois, dosagem extra ou em menor quantidade poderá resultar em problemas.

O estilo de vida do cachorrinho também deve ser levado em conta a hora da indicação da dosagem dos vermífugos. Para os cães que não têm contato com outros pets e não têm o hábito de passear pelas ruas e parques, a dose anual do medicamento os mantêm protegidos.

Já animais que vivem com outros e adoram passear pela rua, parques e afins, o ideal é que a vermifugação ocorra a cada seis meses. O tempo inferior deve-se à maior propensão de ter contato com animais infectados e locais em que a proliferação dessas verminoses é comum.

Vermífugos: Quando dar ao gatos?

Assim como os cães, gatos filhotes também devem seguir um protocolo de administração de doses de vermífugos. Veja na tabela a seguir:

VERMÍFUGOS
QUANDO DAR?

30 DIAS DE IDADE1ª Dose de vermífugos
45 DIAS DE IDADE2ª Dose de vermífugos
60 DIAS DE IDADE3ª Dose de vermífugos
Vermífugos para gatos

A partir dos 12 meses, esses cuidados podem ser semestrais ou anuais, sempre levando em consideração os hábitos do felino. Exemplificando: um gato com acesso à rua e a passeios nos telhados e afins tem maior tendência de se contaminar com verminoses. Os criados em ambientes mais limitados, as chances são menores.

Logo, essas informações devem ser fornecidas ao veterinário para que ele possa receitar a dosagem correta e a periodicidade da administração de vermífugos.

Tipos de vermífugos

Existem algumas fórmulas para a administração de vermífugos, são elas:

Vermífugo em comprimido por via oral
Vermífugo em pipetas por via Pour-On

A Chemitec, indústria farmacêutica para o segmento pet, conta com a linha completa de vermífugos — Chemital, medicamento de via oral, ou seja, em comprimidos e de amplo espectro. Os filhotes contam com o Chemital Puppy, que atende aos filhotes de cães e fêmeas prenhes.

O Chemital Plus é exclusivamente voltado a fêmeas (cadelas) prenhes e combate os principais nematódeos e cestódeos. Estão disponíveis ainda o Chemital Cães e o Chemital Gatos, sendo este último indicado para filhotes de felinos e gatas prenhes.

Cada um deles tem formulação específica (com base na raça e tamanho do animal) e contam com quatro comprimidos em cada embalagem. Só a linha Puppy que é líquido e tem dosador para facilitar a administração junto ao animal de estimação.

Os comprimidos são os mais comuns e facilmente encontrados nas clínicas veterinárias e petshops, sendo que o tutor deve consultar o veterinário antes de escolher uma das fórmulas.

Dicas Para Dar Vermífugos aos Cães e Gatos

Mesmo sendo extremamente importantes à saúde dos animaizinhos de estimação, dar vermífugos aos pets pode ser uma tarefa bem complexa. Primeiro por alguns serem muito reativos a todo o processo, segundo pela falta de prática dos tutores.

O veterinário pode fazer a administração do medicamento durante uma consulta de rotina do pet, mas quem pretende dar o vermífugo em casa pode seguir os seguintes passos:

  • O animalzinho, seja ele um cão ou um gato, deve estar descontraído. Chame-o para brincar, faça carinho e deixe-o bem relaxado;
  • Tenha o comprimido por perto, para facilitar todo o processo;
  • Quando ele estiver relaxado e bem descontraído coloque-o no colo, mas sempre fazendo carinho e proporcionando diversão a ele;
  • Com ele mais calmo, segure-o de forma que consiga abrir a boca sem machucar o animalzinho. Se precisar, conte com a ajuda de uma segunda pessoa, mas pense sempre em não forçar a situação;
  • Com a boca do cãozinho ou gatinho aberta coloque o comprimido o mais próximo da garganta que conseguir e feche, segurando-a por alguns segundos;
  • Massageie a garganta do pet para que ele engula o medicamento de forma rápida e uma dica extra é assoprar bem de leve o focinho dele, para dar um empurrãozinho a mais.

Cão e gato lado a lado
Vermífugos para cães Vermífugos para gatos