Gato rajado deitado
20/05/2021

Toxoplasmose em gato: causas, sintomas e tratamento

A toxoplasmose é uma doença infecciosa que se caracteriza por ser uma zoonose, ou seja: por ser transmitida entre animais e humanos

Causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii, a toxoplasmose é popularmente conhecida como “doença do gato” — o que, infelizmente, faz com que muitas pessoas acreditem que todos os pets desta espécie sejam transmissores. Porém, esta é uma zoonose que dificilmente é passada diretamente dos gatos para as pessoas, embora os felinos sejam essenciais para o ciclo de vida do parasita.

O agente transmissor da toxoplasmose pode afetar mamíferos de todas as espécies, mas apenas o intestino dos felinos possui um ambiente ideal para que o parasita se desenvolva e reproduza. Em outras palavras, os felinos servem como hospedeiro definitivo e a toxoplasmose em gato geralmente não apresenta sintomas ou complicações, enquanto outras espécies são hospedeiras intermediárias e mais afetadas pelo problema.

Toxoplasmose em gato: o que é a doença?

Trata-se de uma doença infecciosa considerada um grave problema de saúde pública, dado que se caracteriza por ser uma zoonose — ou seja: pode ser transmitida do animal para os humanos. A  toxoplasmose em gato é uma enfermidade comumente assintomática e de difícil detecção, e os felinos portadores do parasita raramente são acometidos pela doença.

Em humanos, a toxoplasmose atinge principalmente gestante, recém-nascidos e imunossuprimidos. Em pessoas com sistema imunológico fortalecido, os sintomas manifestados são similares ao de uma gripe (febre, cansaço, dores no corpo e inflamação de linfonodos), enquanto pacientes com sistema imunológico debilitado podem ter problemas mais graves, afetando inclusive outros órgãos do corpo.

Os principais sintomas de toxoplasmose que são apresentados por indivíduos imunodeprimidos são:

  • Dor de cabeça e garganta;
  • Manchas avermelhadas espalhadas pelo corpo;
  • Febre;
  • Confusão mental;
  • Perda da coordenação motora;
  • Aumento do fígado e do baço;
  • Aumento dos linfonodos;
  • Convulsões;
  • Problemas de audição;
  • Problemas na retina.

Apesar da fama que os felinos carregam, a toxoplasmose em gato não é tão frequente como se imagina: estima-se que somente 10 a 15% dos pets carreguem o parasita, embora seja mais comum em animais com acesso à rua, a contaminação pode ocorrer através de ingestão de carne crua contaminada, proveniente tanto da caça (aves ou roedores) como da alimentação oferecida pelos tutores.

Isso significa que gatos que vivem apenas em casa, sem acesso à rua, e se alimentam apenas de ração e petiscos desenvolvidos especialmente para consumo dos pets dificilmente poderão contrair ou transmitir o parasita causador da doença. Portanto, estar sempre atento à alimentação do pet, assim como restringir passeios sem supervisão, é uma maneira bastante eficiente de prevenir toxoplasmose em gato.

O contágio humano, por sua vez, costuma ocorrer por meio da ingestão indireta das fezes de gatos contaminados. Isso acontece principalmente quando as pessoas não têm o hábito de lavar as mãos após limpar a caixa de areia dos pets, além de não higienizar corretamente os alimentos antes do consumo. Também é possível se contaminar através do consumo de água e hospedeiros intermediários infectados, como, por exemplo, a carne crua ou mal passada de bovinos, suínos e aves.

Como é o tratamento da toxoplasmose?

Em humanos, a toxoplasmose pode ser controlada por antibióticos, sendo que o fármaco mais adequado varia conforme a gravidade e forma com que a doença se manifesta. O tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível após o diagnóstico da doença que, é obtido por exame de sangue capaz de identificar a presença de anticorpos específicos.

A toxoplasmose em gato, quando diagnosticada, será controlada conforme os sintomas apresentados pelo felino e desenvolvimento da própria doença. Cabe ao médico veterinário avaliar as condições apresentadas pelo pet e indicar o tratamento mais adequado para o caso. Normalmente, é necessário o uso de antibióticos para gatos por cerca de 2 semanas.

Principais cuidados para evitar a toxoplasmose em gato

Visto que, a principal forma de contaminação é conhecida, a adoção de alguns cuidados básicos pode ajudar a evitar a toxoplasmose em gato. São eles:

  • Evite oferecer carne crua ao animal;
  • Esteja sempre atento à alimentação do pet, escolhendo rações de qualidade ou preparando refeições caseiras com cuidado e seguindo orientações veterinárias;
  • Mantenha seu gato em casa. Animais com acesso livre à rua ficam expostos não apenas ao agente causador da toxoplasmose, mas a diversos outros males capazes de prejudicar sua saúde e bem-estar;
  • Não deixe de levar seu pet às consultas regulares com o veterinário, garantindo não apenas que a vacinação do animal esteja em dia, mas que o especialista identifique precocemente alterações na saúde do felino.

Para os humanos, as recomendações para evitar a doença são praticamente as mesmas das listadas para prevenir toxoplasmose em gato. Além disso, é recomendado sempre lavar bem as mãos após manipular carnes cruas e antes de comer.

A Chemitec disponibiliza medicamentos de ação antibiótica que podem ser bastante eficientes para o tratamento de toxoplasmose em gato. Nenhum desses fármacos deve ser utilizado sem orientação de um médico veterinário de confiança. Para saber mais a respeito de saúde animal e entender as melhores maneiras de prevenir doenças, converse com um profissional!

Fontes:

Ministério da Saúde.